Macabro: mulher é enterrada viva por engano, vizinhos ouvem os gritos e avisam a família

Macabro: mulher é enterrada viva por engano, vizinhos ouvem os gritos e avisam a família

A família de uma mulher de 37 anos que ficou enterrada por mais de dez dias, na cidade de Riachão das Neves, no oeste da Bahia, acredita que ela tenha sido sepultada ainda com vida, após um erro mé

Leia tudo

A família de uma mulher de 37 anos que ficou enterrada por mais de dez dias, na cidade de Riachão das Neves, no oeste da Bahia, acredita que ela tenha sido sepultada ainda com vida, após um erro médico.

Os familiares de Rosângela Almeida dos Santos dizem que o corpo dela foi encontrado revirado no túmulo, com ferimentos nas mãos e testa, como se tivesse tentado sair do caixão após o sepultamento.

"Até aqueles preguinhos que estavam em cima estavam soltos. A mãozinha tava ferida, como quem estava arrumando assim... arrumando o caixão para sair", disse Germana de Almeida, mãe de Rosângela.

Rosangela Almeida teve morte atestada no dia 28 de janeiro Foto ReproduoTV OesteRosangela Almeida teve morte atestada no dia 28 de janeiro (Foto: Reprodução/TV Oeste)

O túmulo foi violado pela família após moradores de casas vizinhas ao cemitério municipal onde a mulher foi enterrada ouvirem gritos vindos do túmulo. A família diz que o corpo da mulher ainda estava quente.

"Quando eu cheguei bem ali em frente, eu ouvi batendo ali dentro. Aí eu pensava que era brincadeira dos meninos, que os meninos só vivem aqui dentro [do cemitério] brincando... Aí gemeu duas vezes, com as duas gemidas ela parou", falou a dona de casa Natalina Silva.

Certido de bito aponta choque sptico como causa da morte  Foto ReproduoTV OesteCertidão de óbito aponta choque séptico como causa da morte (Foto: Reprodução/TV Oeste)

A situação ocorreu na última sexta-feira (9), mas a mulher havia sido enterrada no dia 29 de janeiro. Rosângela estava internada no Hospital do Oeste, em Barreiras, e teve a morte atestada no dia 28.

A certidão de óbito aponta um quadro de choque séptico como causa do falecimento. A situação está sob investigação da Polícia Civil de Riachão das Neves.

Em nota, a assessoria do Hospital do Oeste informou que está à disposião dos familiares da vítima e autoridades para prestar todas as informações necessárias.